Webmail
segunda-feira, 3 de agosto de 2020

Notícias

publicado em 23/11/2016

Negociação garante avanços no aditivo do Santander

Trabalhadores conquistaram reajustes no PPRS, nas bolsas de estudo e cláusula nova que garante parcelamento do adiantamento das férias; assembleia para referendar acordo será realizada até o dia 29 de novembro.
 
Depois de nove rodadas de negociação, a Comissão Executiva dos Empregados e os representantes do Santander chegaram a um consenso para a renovação do acordo aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).
 
“Obtivemos conquistas importantes como: reajustes no PPRS, nas bolsas de estudo e avançamos com uma cláusula nova, que garante o parcelamento do adiantamento das férias”, comenta Eric Nilson, secretário geral e representante na negociação da Federação dos Bancários da CUT de São Paulo (FETEC-CUT/SP).
 
O aditivo, assim como o acordo fechado com a Fenaban (Federação dos Bancos) na campanha 2016, terá validade de dois anos: 2016 e 2017.
 
Conquistas do acordo
 
Bolsas de estudo – Os trabalhadores conquistaram a correção das bolsas de graduação e pós pelo índice da Fenaban: 8% em 2016 e, em 2017, INPC mais 1% de aumento real. Os funcionários do Santander têm direito a um total de 2.500 bolsas, sendo 2 mil para graduação e 500 para pós. “É muito importante ressaltar que não há interferência do gestor na concessão das bolsas de estudo, os critérios para escolha dos bolsistas são apenas sociais, maior tempo de casa, menor salário e maior número de dependentes”, explica o secretário geral.
 
PPRS – O Programa de Participação nos Resultados do Santander (PPRS) terá reajuste de 9,13% em 2016, que equivale a R$ 2.200. Em 2017, o programa terá a correção da inflação (INPC) mais 1% de aumento real.
 
O acordo garante que todos os bancários do Santander receberão R$ 2.200 de PPRS referente ao ano de 2016 (o crédito é em março de 2017). Já os trabalhadores que são elegíveis à remuneração variável (o que ganham pelo cumprimento de metas acordadas com o banco) receberão o valor que for maior. Por exemplo, se pelos programas próprios de remuneração variável ele receberia R$ 1.500 em 2016, passa a receber os R$ 2.200 do PPRS. Mas se sua remuneração variável corresponde a R$ 5 mil, receberá os R$ 5 mil.
 
Férias – Em nova cláusula, o aditivo garante aos trabalhadores do Santander o parcelamento, em até três vezes, a devolução do adiantamento das férias, caso façam essa opção.
 
Metas – não chegaram a avanços sobre questões relativas a condições de trabalho, que estão diretamente relacionadas às metas. Estas questões serão debatidas em uma mesa já agendada para dezembro, ainda sem dia definido.
 
Renovadas – Serão renovadas todas as demais cláusulas do acordo, além de todos os termos de compromisso como o de Relações Laborais e Prestação de Serviços Financeiros/Boas Práticas, e o da Cabesp e Banesprev, que garante o patrocínio do banco nessas entidades.
 
O dirigente lembra que mesmo com a negociação do aditivo sendo encerrada, ainda há um canal permanente de negociação com o banco. “Após nove rodadas de negociação, sem dúvida, obtivemos avanços importantes para os bancários do Santander, como a manutenção de cláusulas já existentes e a inclusão direitos ainda não previstos na CCT da categoria, a exemplo do parcelamento do adiantamento das férias”, finaliza Eric.

Com informações do Seeb/SP

  Fonte: FETEC-CUT/SP
  • Whatsapp
  • Telegram

Leia Mais

FETEC-SP é uma marca registrada. Todos os Direitos Reservados.
INFOSind - A MAIOR Empresa de Gestão Sindical do Brasil