Webmail
segunda-feira, 3 de agosto de 2020

EM CIMA DA HORA

publicado em 11/11/2016

Balanço: São Paulo tem paralisações e trancaços no Dia Nacional de Greve

As atividades tiveram ampla adesão e são parte do Dia Nacional de Greve convocado pela CUT, centrais e movimentos sociais contra a retirada de direitos.

Na manhã deste 11 de novembro, Dia Nacional de Greve, a CUT São Paulo e sindicatos cutistas de diferentes categoriais fizeram panfletagens, paralisações e assembleias nos locais de trabalho em todo Estado de São Paulo.

Movimentos sociais também organizaram trancaços em avenidas importantes, como a Anchieta, no Grande ABC. A mobilização foi intensa na região metropolitana de São Paulo e pelo interior, principalmente no setor de transportes.
À tarde, a mobilização continua e terá como destaque marchas que sairão da Avenida Paulista e da Praça da República sentido à Praça da Sé, onde lideranças se reunirão neste dia marcado pela luta contra retrocessos como a PEC 55 e as reformas trabalhistas deste governo ilegítimo e golpista de Michel Temer. 

Confira abaixo o balanço das manifestações em São Paulo: 

ABC
O Sindicato dos Bancários do ABC promoveu hoje uma aula aberta para alertar sobre os perigos da PEC 55 para a sociedade brasileira. A aula foi ministrada pelo professor de Relações Internacionais da UFABC, Giorgio Romano, no calçadão da rua Oliveira Lima, em Santo André. Paralelamente, foi realizada coleta de assinaturas contra o Projeto de Emenda Constitucional que congela investimentos públicos por 20 anos.
Em Diadema, químicos na empresa Tirreno Indústria e Comércio, no bairro Vila Conceição, pararam nessa manhã. 
Metalúrgicos em Diadema panfletaram no terminal metropolitano do Piraporinha.
Em Santo André, categorias se reuniram e fizeram panfletagem na cidade. As agências bancárias permaneceram para
Em São Bernardo do Campo houve paralisação dos químicos na Empresa Nazca Cosmético, no bairro Cooperativa e ato no Pavilhão Vera Cruz com movimentos e sindicatos cutistas de diferentes categorias do ABC. Depois saíram em caminhada pelo centro.

Capital
Municipais de São Paulo realizam mobilizações na subprefeitura da Lapa, subprefeitura do Butantã, no Hospital do Tatuapé, no Hospital Benedicto Montenegro, no Hospital do Servidor Público Municipal, na Suvis São Mateus, Suvis Capela do Socorro, bem como realiza aula pública sobre a PEC 241 (55) na Praça do Patriarca.
Em Emerlino Matarazzo, vidreiros paralisados na antiga Cisper, atual Owens Illinois - fabricante de embalagens de vidro mundial.
Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região realizaram paralisação em diversas agências, CAT, ITM, etc.
Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo e servidores da saúde protestaram em frente ao Hospital das Clínicas.
Hospital do Ipiranga teve paralisação.
Trabalhadores da Sabesp também pararam pela manhã.
Mobilização dos trabalhadores na Comgás-Figueria-Brás.
Sindema realizou uma aula pública pela manhã.

Bauru
Transporte parou pela manhã.
Sinergia realizou panfletagem pela cidade.

Bragança Paulista
Trabalhadores/as da Energisa realizaram assembleia

Campinas
Trabalhadores da construção civil da Sirius pararam.
Além de trancaço na rodovia, trabalhadores, militantes e estudantes fizeram ato conjunto na cidade pela manhã.

Guarulhos
Trabalhadores do transporte de Guarulhos e Arujá paralisados. Teve adesão massiva na região. Depois, teve ato e caminhada pelo calçadão comercial.

Itapeva
Transporte urbano nas cidades de Itapeva, Itararé e Capão Bonito parado. Condutores da empresa Jundiá cruzaram os braços também. Todos eles fazem parte da base do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e região.

Limeira
Condutores de Limeira também atrasaram entrada de turno esta manhã e realizaram assembleia.
Servidores municipais realizaram ato em frente à prefeitura.
Bancários também pararam.

Mauá
Na Recap, trabalhadores próprios e terceirizados ficaram mobilizados desde às 6h. Também participam do ato aposentados do Daesp e militantes de movimentos sociais.

Mogi das Cruzes
Trabalhadores/as da empresa Melhoramentos cruzaram os braços.

Ourinhos
CUT Ourinhos, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais e Autárquicos de Ourinhos e Região (Sinserpo) e militância foram para as ruas panfletar e dialogar com servidores e população.

Osasco
Panfletagem na estação de trem de Osasco e depois ato com caminhada pelas ruas do calçadão.

Paulínia
Na Replan, os petroleiros paralisaram as atividades.

São Carlos
Ato no centro da cidade em parceria com os movimentos sociais
Metalúrgicos atrasaram a entrada do turno e realizaram assembleias nas empresas Tecumseh I, Volkswagen e Electrolux.
Trabalhadores da CPFL também paralisaram as atividades nesta manhã.

São José dos Campos
Servidores municipais pararam e realizaram ato em frente à prefeitura.

Sorocaba
Transporte urbano, intermunicipal e rodoviário de Sorocaba, Votorantim, São Roque, Mairinque, Alumínio, Itapetininga, Tatuí, Araçoiaba da Serra, Salto de Pirapora, Capela do Alto, Piedade, São Miguel Arcanjo e Pilar do Sul pararam. O transporte por fretamento, inclusive o escolar, também está sendo paralisado nessas cidades.
Trabalhadores da Ralip, fretamento de Araçariguama, região metropolitana de Sorocaba, também cruzaram os braços.
Trabalhadores/as do vestuário também pararam nesta manhã.

Registro
Instituto Federal de Registro, no Vale do Ribeira, parou.

Ribeirão Preto
Trabalhadores do Hospital das Clínicas pararam

TRANCAÇOS

- Na capital paulista, a Avenida João Dias, estrada de Itapecerica e M’ Boi Mirim amanheceram paradas. Movimentos sociais, como o MTST, fecharam as vias e as seguintes rodovias:Anchieta, Anhanguera, Dutra, Regis Bitencourt e Bandeirantes (todas as regiões de São Paulo).
- Na via Anhanguera, na entrada de Sumaré, também teve protesto e paralisações.
- Rodovia Bandeirantes com Avenida Amoreiras, em Campinas, foi fechada também pela manhã

  Fonte: CUT/SP
  • Whatsapp
  • Telegram

Leia Mais

FETEC-SP é uma marca registrada. Todos os Direitos Reservados.
INFOSind - A MAIOR Empresa de Gestão Sindical do Brasil