Webmail
quarta-feira, 23 de outubro de 2019

EM CIMA DA HORA

publicado em 31/10/2016

CUT-SP realiza dia de mobilização e alerta sobre perda de direitos

Atividade prepara o Dia Nacional de Greve Nacional que ocorrerá na próxima semana.
 
Desde a madrugada de segunda-feira (31), diversas categorias de trabalhadores participaram das atividades de mobilização organizada pela CUT São Paulo e os sindicatos filiados à entidade, alertando a população sobre os riscos que o governo ilegítimo de Michel Temer representa aos brasileiros.
 
Douglas Izzo, durante entrevista à Rádio CUT-SP.A ação é parte da estratégia rumo ao Dia Nacional de Greve e Paralisação, que irá ocorrer no próximo dia 11 por todo o Brasil e, até o fechamento deste texto, foram feitas atividades de panfletagem em praças, estações de trens e metrô, ruas de comércio, atrasos e assembleias em portas de empresas em todo o estado de São Paulo.
 
Os participantes aproveitaram para entregar o Jornal da Classe Trabalhadora, produzido pela CUT-SP, e que alerta sobre os retrocessos que avançam em âmbito federal, como a PEC 241/16 (tramita no Senado como PEC 55), que, caso aprovada, irá congelar os investimentos públicos por 20 anos, em áreas como saúde, educação e assistência social. A edição aborda também terceirização, aposentadoria, pré-sal e reforma do ensino médio, medidas pretendidas pelos golpistas. Além disso, apresenta um ‘carômetro’ dos deputados eleitos por São Paulo que votaram contra os trabalhadores.
 
Para o presidente da CUT São Paulo, Douglas Izzo, o governo não eleito pelo povo procura agora justificar as falácias que comete. “As áreas essenciais para as pessoas serem atendidas, que são saúde, segurança pública e educação, podem entrar em colapso, pois o governo não terá recursos para atender às demandas futuras da população. Se ele quisesse resolver as contas públicas no país, bastava diminuir os juros que tem uma das taxas mais altas do mundo, e com isso deixar de remunerar os empresários e bancos”, disse durante entrevista à Rádio CUT-SP, estrutura que esteve nas ruas da capital paulista para dialogar com a população sobre o atual momento político.
 
Pela Rádio CUT-SP, a população pôde fazer depoimentos ao vivo, ao lado de dirigentes e assessores sindicais e líderes de movimentos populares.
 
Assembleia em Sorocaba - Fotos: DivulgaçãoSecretário Geral da CUT São Paulo, João Cayres avalia que este dia de mobilização representa um trabalho de conscientização popular fundamental neste momento de golpe. “É importante explicar para a classe trabalhadora sobre os direitos conquistados com muita luta nos últimos anos. Sabemos que a grande imprensa tem interesses atrelados aos setores mais atrasados e elitistas do país e, por isso, deturpa as notícias. E esta é a nossa tarefa, ir aos grandes centros, nos locais de trabalho e periferias. Dialogar em cada bairro para que a população saiba, de fato, o que está ocorrendo neste momento no Brasil”, afirma o dirigente.
 
PELO ESTADO
A CUT Sorocaba, por meio dos sindicatos de vestuário, têxteis, metalúrgicos, refeições coletivas, condutores, servidores e hoteleiros, começou a panfletagem ainda pela madrugada, no centro comercial da cidade e, depois, realizou assembleia com os trabalhadores nas fábricas de confecção. No horário de almoço, os representantes do vestuário aproveitaram para conversar com trabalhadores da empresa Agiropa Confecções sobre o dia 11 de novembro. Há também programação para panfletagem no Terminal Santo Antônio.
 
Panfletagem em São CarlosJá em São Carlos, a subsede da CUT com os sindicatos da região fizeram panfletagem e mobilização ao lado dos trabalhadores da Smalte, Electrolux, Volkswagen e na Tecumseh. Ao longo do dia estavam previstas ações também em Araraquara e Ibaté. Em parceria com os movimentos sociais, a subsede realizou ainda a entrega dos jornais na Praça do Mercado Municipal. Em Araraquara, o Sindicato dos Bancários e a subsede da Apeoesp (professores) também aderiram à mobilização e entregaram jornal na Praça da Matriz, a partir das 17h.
 
No Grande ABC, a mobilização ocorreu no Terminal do Trólebus de Ferrazópolis, em São Bernardo do Campo e na Estação de trem de Santo André. Diadema iniciou suas ações às 17h, no Terminal do Centro.
 
Na Baixada Santista, os trabalhadores que utilizaram as balsas de Santos e Guarujá para seguir aos seus trabalhos receberam a edição do jornal.
 
Osasco fez a distribuição do Jornal da Classe Trabalhadora no complexo Cidade de Deus, onde funciona a matriz do banco Bradesco. Em seguida, a militância seguiu para o calçadão de Osasco e proximidades da Estação de Trem, junto com integrantes do Sindicato dos Comerciários e do Sindsaúde.
 
A CUT Campinas fez também panfletagem na CPFL e nas distribuidoras de gás e gasolina de Paulínia. Já em Bauru, a CUT deu continuidade à ação iniciada na última sexta (28), com entrega do jornal e diálogo com a população nas principais vias e empresas, passando por Jaú com a participação do Sindicato dos Calçadistas de Jaú e o Sinprafarma. Presidente Prudente também promove ações de entrega do jornal desde a semana passada.
 
A subsede da CUT Mogi das Cruzes e o Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo fizeram panfletagem na estação de trem Brás Cubas. Em Botucatu, a panfletagem ocorreu no comércio da região e na porta da Duratex desde as 5h30. Em Jundiaí, a entrega do jornal foi feita no centro da cidade e em frente ao posto da Previdência Social. Em Poá, os sindicalistas dialogaram com a população em frente à estação de trem Calmon Viana.
 
Distribuição do Jornal no Terminal Parque Dom Pedro, em São Paulo.Na capital paulista, dentre os inúmeros pontos de mobilização, a militância do movimento sindical esteve nas estações de Metrô Arthur Alvim, Luz, Praça da Sé, Praça da Árvore, São Miguel Paulista, Tatuapé e Jabaquara e no Terminal Parque Dom Pedro, na Praça do Patriarca e na entrada dos trabalhadores nos hospitais Ermelino Matarazzo e São Miguel Paulista, na zona leste. Entre as categorias envolvidas estavam o Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, o Sindicato dos Químicos de São Paulo, Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo e o Sindicato dos Trabalhadores das Autarquias de Fiscalização do Exercício Profissional e Entidades Coligadas no Estado de São Paulo.
 
CLIQUE AQUI e confira algumas fotos da mobilização
 
 
  Fonte: CUT-SP
  • Whatsapp
  • Telegram

Leia Mais

FETEC-SP é uma marca registrada. Todos os Direitos Reservados.
INFOSind - A MAIOR Empresa de Gestão Sindical do Brasil