Webmail
sexta-feira, 18 de outubro de 2019

EM CIMA DA HORA

publicado em 28/10/2016

Lula, 71 anos: flores, bolo e muitas conversas com aliados

Eleito pela primeira vez há exatos 14 anos, ex-presidente comemorou aniversário recebendo militantes, prefeitos, deputados, sindicalistas e antigos integrantes de seu governo. Dilma foi um dia antes.

São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva celebrou os 71 anos no instituto que leva o seu nome, no Ipiranga, zona sul de São Paulo, recebendo apoio – e flores – de militantes e conversando com ativistas, aliados e ex-integrantes de governo. A data de ontem coincidiu com sua primeira eleição para presidente, em 27 de outubro de 2002, no segundo turno.

Entre os que visitaram Lula e sua esposa, Marisa Letícia, estavam os prefeitos de São Paulo, Fernando Haddad, e de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho. Passaram ainda pelo instituto o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e os deputados federais Andrés Sanchez (ex-presidente do Corinthians), Paulo Teixeira, Arlindo Chinaglia (ex-presidente da Câmara), José Mentor, Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho, e Vicente Cândido (relator da comissão especial da reforma política na Câmara), todos do PT paulista. O presidente nacional da legenda, Rui Falcão, chegou pouco antes das 20h. Os ex-ministros Alexandre Padilha e Aloizio Mercadante, o ex-assessor Marco Aurélio Garcia e o advogado Roberto Teixeira também foram cumprimentar o aniversariante.

Algumas dezenas de militantes e simpatizantes se concentraram no final da tarde diante do instituto e foram convidados a entrar. Alguns levaram cravos para o ex-presidente, além de um bolo, comprados com recursos de uma "vaquinha" – como a arrecadação superou o previsto, ele deverá continuar recebendo flores. Do lado de fora, foi possível ouvir gritos de "Lula, guerreiro do povo brasileiro", além da cantoria de parabéns. Havia poucos repórteres e uma dezena de fotógrafos na rua. Pelo menos até as 20h30, ainda chegava gente. Foi nesse horário que deixou o local o jornalista e escritor Fernando Morais, enquanto Vicente Cândido entrava.

Em sua página no Facebook, ontem, Morais contou ter recebido um telefonema "de uma senhora do Palácio do Planalto" informando que ele havia sido excluído do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o chamado Conselhão, da Presidência da República, para o qual havia sido nomeado pela ex-presidenta Dilma Rousseff. "Será que essa gente imaginava que eu permaneceria no conselho de um governo espúrio e golpista como o do Temer?", comentou.

Unidade

Dilma foi na véspera cumprimentá-lo e postou uma foto do encontro com o ex-presidente. "Ao meu querido amigo Lula desejo saúde, paz, alegria e força para seguir na luta por um país mais justo e inclusivo. Feliz aniversário!”, escreveu no Facebook. Em sua agenda paulistana, ela se encontrou com Rui Falcão.

Por volta de 17h30, o ex-senador e vereador eleito por São Paulo Eduardo Suplicy deixava a sede do instituto. Contou ter conversado com o ex-presidente, durante aproximadamente 50 minutos, sobre o momento vivido pelo PT e as investigações da Operação Lava Jato. Segundo ele, o ex-presidente reafirmou convicção de que sua inocência ficará comprovada. E também pregou a unidade interna do partido, que discute uma possível renovação. "Ele defendeu a união das diferentes correntes", afirmou Suplicy, que saía praticamente ao mesmo tempo em que chegava o ex-deputado e ex-vereador Devanir Ribeiro, metalúrgico dos tempos do sindicalista Lula no ABC.

Agora com 71 anos, legalmente desobrigado, o ex-presidente não deverá votar no segundo turno em São Bernardo do Campo, no próximo domingo (30). O candidato petista à prefeitura, Tarcísio Secoli, perdeu na primeira rodada, no dia 2. A disputa será entre candidatos do PSDB (Orlando Morando) e do PPS (Alex Manente). O PT decidiu não apoiar nenhum.

Representantes das frentes Brasil Popular e Povo sem Medo se encontraram no Instituto Lula. Havia vários líderes sindicais, como o presidente e o secretário-geral da CUT, Vagner Freitas e Sérgio Nobre, respectivamente, assim como o presidente da Confederação Sindical Internacional (CSI), João Felício. A presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, Juvandia Moreira, também esteve no local. Pela manhã, ainda em casa, com roupa de ginástica, Lula recebeu a visita do presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT, Paulo Cayres. No início da noite, chegou ao instituto o coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos.

Lula não divulgou mensagem pela data e nem falou com a imprensa que aguardou na rua uma possível aparição, mas comentou em rede social o discurso da estudante secundarista Ana Júlia Ribeiro, feito um dia antes na Assembleia Legislativa do Paraná, sobre as ocupações de escolas. "No dia do meu aniversário, ganhei o presente de ver essa menina falando", escreveu.

  Fonte: Rede Brasil Atual
  • Whatsapp
  • Telegram

Leia Mais

FETEC-SP é uma marca registrada. Todos os Direitos Reservados.
INFOSind - A MAIOR Empresa de Gestão Sindical do Brasil