Webmail
quinta-feira, 6 de agosto de 2020

EM CIMA DA HORA

publicado em 09/09/2016

Remuneração maior só para executivos

Previsão de crescimento para 2016 é a maior entre os grandes bancos: enquanto isso, bancários são levados à greve, que na sexta chega ao quarto dia, para cobrar aumento decente para salários, PLR, vales
 
Os bancários chegaram nesta sexta-feira (9) ao quarto dia de greve nacional. A paralisação seguirá por tempo indeterminado até que os bancos apresentem uma proposta decente à categoria. Nesta sexta, a Fenaban voltou à mesa de negociação com uma nova proposta, ainda rebaixada, de 7% de reajuste para salários, PLR, piso, vales e auxílios, mais um abono de R$ 3.300, que não incide sobre férias, 13º, FGTS, previdência.
 
Os bancos insistem em tentar reviver a política de reajuste rebaixado com abono, que tantas perdas trouxe aos trabalhadores nos anos 1990. Mas isso só vale para os bancários. Para seus executivos, a lógica é outra: grandes aumentos.
 
O Santander prevê elevar em 29,1% a remuneração de seus executivos. É o maior índice entre todos os bancos e fará com que esses “chefões” ganhem quase 145 vezes mais que o salário de um escriturário.
 
Todos os bancos mantêm essa política, de grandes salários para os executivos, enquanto que para os bancários, na linha de frente das agências e departamentos, querem empurrar perdas.
 
No Itaú, os executivos ganham 255 vezes mais que o escriturário. No Bradesco, 109 vezes. E no BB, a diferença é de 42,54 vezes.
 
 
Fonte: Seeb/SP
  • Whatsapp
  • Telegram

Leia Mais

FETEC-SP é uma marca registrada. Todos os Direitos Reservados.
INFOSind - A MAIOR Empresa de Gestão Sindical do Brasil